Por que os PLCs permanecem essenciais para a automação moderna

Desde que os controladores lógicos programáveis ​​(PLCs) inauguraram a Indústria 3.0 há mais de 50 anos, eles permaneceram um dos pilares da automação. PLCs são computadores industriais usados ​​para controlar vários processos eletromecânicos em instalações de manufatura e ambientes de automação. Por serem fáceis de operar e programar, os PLCs muitas vezes desempenham um papel essencial nos sistemas SCADA, atuando como a interface física entre os dispositivos no chão de fábrica e HMIs, além de comunicar, monitorar e controlar processos automatizados.

Da produção de alimentos e bebidas aos concessionários de água e manufatura, os PLCs são componentes integrais em praticamente todas as áreas da automação moderna. Usando a programação em tempo real, os PLCs são capazes de capturar dados de entrada de máquinas no chão de fábrica e aplicar lógica de programa criada pelo usuário em resposta, produzindo dados de saída ou comandos para executar uma variedade de aplicações junto com ferramentas como bancos de dados SQL.

Você não pode ter IIoT sem PLCs

À medida que as organizações continuam a se transformar digitalmente com a implementação da tecnologia Industry 4.0, os métodos de aproveitamento de PLCs também progrediram. Em sistemas SCADA modernos, os dados são o ponto focal, mas o método tradicional de pesquisa de resposta para coletar dados de PLCs nem sempre é suficiente. Em sistemas mais complexos ou dispersos, os PLCs ainda são uma pedra angular, mas podem suportar arquiteturas totalmente diferentes.

As tecnologias com capacidade para IIoT proporcionaram às organizações novos níveis de interoperabilidade. Os PLCs modernos são parte integrante dessas redes IIoT, com muitos dos avanços recentes centrados na implementação integrada de tecnologias habilitadoras de IIoT, dando ao dispositivo um papel mais ativo na arquitetura geral do sistema. Ao contrário da noção desatualizada de que os PLCs são úteis apenas para I/O básicas, os modelos mais novos possuem diversos recursos de comunicação, incluindo conectividade em nuvem e computação de borda, tornando-os ferramentas poderosas no chão de fábrica ou em um local remoto.

PLCs Power the Edge

Particularmente em setores como petróleo e gás, a coleta de dados de borda da rede pode ser proibitivamente difícil devido a ambientes hostis ou falta de infraestrutura. A computação de borda se esforça para superar essas dificuldades, movendo a pesquisa de PLC para mais perto da fonte, reduzindo a latência e aumentando a confiabilidade.

PLCs de borda de rede frequentemente empregam protocolos de comunicação prontos para IIoT como MQTT, que usa um modelo publicar-assinar para economizar largura de banda enquanto mantém o fluxo de dados aberto. Evitando problemas de conectividade de rede que podem resultar em perda massiva de dados, o recurso de armazenamento e encaminhamento do MQTT coleta dados no próprio PLC por até 7 dias e, quando a rede é reconectada, guarda as informações em um servidor.

Faça mais com seus PLCs

Embora críticos, os PLCs são apenas uma parte de uma arquitetura de gerenciamento de dados bem-sucedida. Para desbloquear totalmente os recursos de um sistema, você precisa conectar PLCs com as melhores soluções. Implementar um software de automação robusto como o Ignition by Inductive Automation não apenas coleta e registra dados virtualmente de qualquer PLC, mas também fornece ferramentas para realizar análises avançadas para ajudar sua organização a tomar decisões mais informadas e baseadas em dados.

Como o Ignition pode ajudar com o Digital Thread?

As operações de manufatura de hoje criam muitos dados com cada produto que sai da fábrica. De arquivos de design de produto a logística da cadeia de suprimentos, resultados de testes de qualidade e feedback do consumidor, os fabricantes dependem da precisão e disponibilidade dos dados durante todo o ciclo de vida do produto. Diferentes tipos de dados vêm de diferentes fontes e são armazenados em diferentes locais, o que acaba dificultando a coleta de um conjunto de dados coeso que realmente define um produto.

O Digital Thread promete enfrentar esse desafio! Traduzido do inglês, o encadeamento de execução digital é um conceito operacional que descreve como um perfil de dados é definido, criado, preenchido e modificado ao longo do ciclo de vida do produto.

Este conceito ganhou popularidade em resposta ao problema de “data silos” que inibem a resolução colaborativa de problemas, a identificação de ineficiências e a tomada de decisões estratégicas. A promessa do Digital Thread é mudar esse paradigma, tornando os dados disponíveis e acessíveis a várias unidades de negócios, fornecedores e clientes, resultando em produtos mais rápidos, baratos e de maior qualidade.

Ao adotar e se comprometer com o conceito de Digital Thread, os fabricantes devem esperar:

  • Democratização de dados, quebrando barreiras para tornar os dados acessíveis a todos que precisam.
  • Uma única fonte da verdade, que define claramente os dados críticos que descrevem um produto ou processo, incluindo onde e como ele é armazenado.
  • Maior agilidade e qualidade, tornando o processo de comunicação de dados mais rápido e menos sujeito a erros.

O Digital Thread não é um produto ou software específico, mas sim um conceito de design que contextualiza dados de uma variedade de outras fontes. Ele promove os conceitos de integridade, governança e disponibilidade de dados que estabelecem a base para a Indústria 4.0 e a transformação digital. As empresas que utilizam o Digital Thread aproveitam ao máximo seus dados para capacitar seus operadores, tomar decisões mais informadas e otimizar toda a cadeia de valor.

O conceito de design do Digital Thread se encaixa perfeitamente nos recursos da plataforma Ignition da Inductive Automation. O Ignition foi construído para ser o centro de coleta, gerenciamento e visualização de dados no chão de fábrica. Ele permite tags de dados e conexões ilimitadas, o que facilita o controle do fluxo de informações entre todos os PLCs, tags de dados, bancos de dados e dispositivos no chão de fábrica e em toda a empresa. Isso cria uma situação de integração ideal para os fabricantes, uma situação que conecta TI e produção.

Como uma solução de plataforma cruzada, o Ignition também é muito versátil conforme as necessidades do chão de fábrica mudam. Essa versatilidade se estende além de apenas aplicativos locais; o Ignition é baseado na adaptabilidade e é construído sobre tecnologias abertas confiáveis. Coletivamente, a arquitetura modular do Ignition e a adaptabilidade do produto o tornam uma ótima ferramenta para configurar uma fábrica para o sucesso com o Digital Thread.

5 níveis de segurança cibernética na automação

Conforme os fabricantes continuam a adotar a tecnologia Industry 4.0 e IIoT, a segurança cibernética está se tornando cada vez mais crítica a cada dia que passa. Proteger uma rede com sucesso requer não apenas vigilância constante, mas também estratégias para proteger sua organização em todos os níveis. Entretanto, mesmo com a melhor preparação, sempre há chance de ataque. O autor Andrew Ginter resumiu isso com suas 3 leis de segurança SCADA:

Nada é 100% seguro, todo software pode ser hackeado e cada informação pode ser um ataque.

Parece assustador, certo? Bem, dirigir um carro também seria assustador se você concentrasse apenas no que poderia dar errado. É por isso que temos cintos de segurança, airbags e seguro. Da mesma forma, o objetivo da segurança da rede é reduzir o risco, não eliminá-lo. Com isso em mente, reunimos uma cartilha de práticas recomendadas que você pode implementar para proteger melhor sua rede.

1. Segurança corporativa

Ao considerar a segurança cibernética no nível empresarial, a simplicidade é a melhor política. Soluções complexas não melhoram a segurança quando aplicadas de maneira ampla. No entanto, o conhecimento profundo de seu ambiente – modelos de máquina e acesso, suas versões de software, níveis normais de tráfego na rede – o ajudará a obter uma melhor compreensão do seu sistema e permitirá que você reconheça rapidamente qualquer atividade anormal.

2. Segurança SCADA

Para o escopo de uma rede SCADA, certifique-se de proteger cada conexão, seja PLC para servidor, banco de dados para servidor, cliente para banco de dados ou nuvem para cliente (a lista continua). É vital que todas as conexões sejam protegidas. Isso pode ser feito de várias maneiras, mas todas elas se concentram na autenticação e na autorização. Mais comumente, a autenticação vem na forma de nomes de usuário e senhas. Soluções adicionais, como autenticação de dois fatores, incluindo biometria, infraestrutura de chave pública (PKI), cartões-chave e tokens USB oferecem outra camada de proteção. Depois que um usuário verifica quem ele é por meio de autenticação, a autorização determina os privilégios que ele deve ter em um sistema. Isso pode ser baseado em função, baseado em rede ou um híbrido de ambos.

3. Segurança de rede

O melhor método para manter uma rede protegida é usar TLS (às vezes chamado de SSL), que criptografa todos os dados por HTTP para evitar o sequestro de sessão protegendo bancos de dados e o Gateway. Ele também criptografa a comunicação OPC UA e MQTT para garantir a transferência privada de dados. A auditoria é outra ferramenta poderosa para manter a segurança. Executando auditorias periódicas, você pode rastrear quem fez o quê de onde, criando logs, trilhas e perfis para garantir que tudo o que acontecer em sua rede, você tenha registrado.

4. Segurança do dispositivo

A segurança do dispositivo pode ser dividida em duas categorias: proteção de estações de trabalho e servidores e proteção de PLCs. Para computadores e servidores, consiste em remover programas desnecessários, manter o software atualizado, configurar firewalls em servidores redundantes, usar apenas as portas necessárias e desabilitar o acesso remoto. Se o acesso remoto for necessário, certifique-se de usar uma VPN para autenticação multifator. No que diz respeito aos PLCs, é melhor usar segmentação de rede – mantendo os dados OT em uma rede privada separada – utilizando VLAN com criptografia e configurando um gateway de borda de rede como uma ponte. Outra opção é implementar gateways unidirecionais (também chamados de diodos de dados), que permitem que as informações passem da rede SCADA para a rede de TI em apenas uma direção, garantindo o isolamento e mantendo o fluxo de dados.

5. Segurança Física

Pode parecer contra-intuitivo, mas a segurança física é parte integrante da segurança cibernética. Uma das formas mais comuns de ataque é sequestrar fisicamente um servidor ou estação de trabalho. Para combater isso, você pode implementar soluções para toda a empresa, como guardas, crachás e monitoramento de vídeo, bem como controle de dispositivos para laptops, telefones e chaves USB. Além disso, ter políticas e treinamento eficazes ajudará muito a manter sua rede protegida contra agentes mal-intencionados e erros honestos.

Comece a proteger seu sistema agora

As dicas listadas acima irão beneficiar qualquer sistema SCADA, mas alavancar um software robusto e focado na segurança como o Ignition by Inductive Automation pode oferecer uma incrível paz de espírito (junto com um ótimo suporte).

Com a chegada da computação distribuída e de borda, a transmissão e exposição de dados industriais na rede se faz mais necessário, e em nossa última webinar, mostramos o porquê de o Ignition ser a ferramenta mais preparada para criar soluções seguras na convergência de dados industriais.

Acabamos de fazer o upload da apresentação sobre a proteção do software Ignition contra ataques em nosso canal do YouTube.

Essa é a sua chance de se capacitar ainda mais quando se trata do Ignition!

Ignition 8.1.10 – Pipelines e atualizações do Perspective, redundância OPC UA e mais!

Conforme o orvalho da manhã baixa e o sol atinge o pico no horizonte, um som fraco pode ser ouvido à distância. No momento em que o som fica mais alto, emergindo da crista, o trem de liberação ruge à vista, disparando em todos os cilindros e trazendo com ele alguns novos recursos interessantes. Uma vez na estação, o Ignition 8.1.10 oferece vários novos recursos do Perspective, uma atualização para OPC UA,  o Módulo Vision, e outros aprimoramentos que definitivamente irão melhorar sua experiência com o Ignition.

Atualizações do Perspective

Primeiro, vamos dar uma olhada em vários novos recursos do Módulo Perspective:

Ferramentas de tubulação

Alguns diriam que grandes recursos são apenas uma quimera, mas acreditamos que esses sonhos se tornam realidade. Brincadeiras à parte, estamos realmente empolgados em apresentar ferramentas de tubulação para o Perspective no Ignition 8.1.10.

Ao entrar no designer do Perspective, você verá um novo conjunto de botões de ferramentas que permitirão que você desenhe tubos para suas telas industriais. As ferramentas foram projetadas para serem usadas com o contêiner de coordenadas, pois os objetos podem se sobrepor, permitindo que você coloque imagens e símbolos na frente dos tubos.

Para desenhar um tubo, selecione o botão Ferramenta de desenho de tubo. Clique no local desejado para criar uma origem. Você pode clicar e arrastar um novo segmento que cria uma nova conexão da qual outros segmentos podem se ramificar. Os tubos serão ajustados de acordo para mostrar que estão cruzando outra seção do tubo.

Cada tubo que você desenha manterá suas próprias propriedades de personalização. Se você unir dois tubos, o segundo tubo herda o estilo e as propriedades do primeiro, aos quais você pode reverter se desejar. Se desejar adicionar conexões de ponto médio, você pode fazer isso com um clique. Você pode então mover essa conexão para ajustar os dois segmentos de tubo adjacentes. Para adicionar ângulos, você pode segurar Shift para obter qualquer ângulo ou usar a tecla Alt para ajustar a um ângulo predeterminado.

Outras opções de personalização permitem que você selecione os estilos Mimic, Simples e P&ID, largura de linha, variações de linha, cor e outras propriedades personalizáveis. Você também pode excluir segmentos, mover grupos e ancorar extremidades de tubos em outros componentes.

Componentes de gráficos

O trem de lançamento está traçando um novo território com atualizações para os componentes do gráfico de pizza e gráfico XY em perspectiva. No Ignition 8.1.10, adicionamos um objeto de seleção que permite maior interatividade com seus gráficos. Quando ativado, você pode clicar em elementos de um gráfico que fornecem ênfase por meio de uma pequena animação. Mais importante ainda, a propriedade da data é exposta, o que permite que você atribua lógica adicional. Quando um usuário clica em uma seção do gráfico, não apenas essa seção se torna enfatizada, mas um script também pode ser acionado para fornecer funcionalidade adicional.

Dicas de componentes

Com o Ignition 8.1.10, o Perspective oferece a capacidade de adicionar e personalizar dicas de ferramentas para qualquer objeto. Portanto, ao ativar a dica de ferramenta, você pode adicionar texto personalizado com estilo personalizável.

Além disso, você pode configurar propriedades como atraso, que determina quando a dica de ferramenta aparece após um evento de foco, junto com a sustentação, que determina por quanto tempo uma dica de ferramenta permanece visível e define o local onde a dica de ferramenta aparece e se a dica de ferramenta terá uma cauda.

Também foram adicionadas algumas funções de script, requestToolTip e removeToolTip, que permitem chamar todas as dicas de ferramentas em objetos de uma vez ou descartá-las. Isso é especialmente útil para telas sensíveis ao toque. Como as telas sensíveis ao toque não têm controle do mouse, os usuários não podem passar o mouse sobre os elementos para revelar uma dica de ferramenta. Com a atualização, você pode criar botões que usam as funções de script para expor as dicas de ferramentas, tudo com apenas um toque.

Eventos Chave

O Perspective está obtendo um dos recursos favoritos encontrado no Módulo Vision. Adicionamos um novo evento de script chamado Key Events. Essencialmente, quando um usuário digita algo em um teclado, um script é chamado.

O evento de script é altamente configurável. Você pode configurar o evento, como quando uma tecla é pressionada ou solta, definir a tecla específica no teclado ou usar um código de tecla. Você também pode incluir teclas modificadoras, como tecla shift ou tecla de comando.

Há uma opção para uma correspondência de regex em que o evento pode ser acionado com base em uma série de pressionamentos de tecla. Um caso de uso para isso são leitores de código de barras USB. Alguns leitores de código de barras atuam como uma cunha de teclado ou um teclado virtual. Quando um código é escaneado, o scanner produz dados em uma série de pressionamentos de teclas do teclado que a correspondência de regex procurará para acionar o evento de script.

Outros recursos do Perspective

Outras atualizações notáveis ​​do Perspective no Ignition 8.1.10 são a propriedade de sessão adicionada, session.props.address, e o controle adicional com o componente Power Chart.

A propriedade session.props.address permite que os desenvolvedores visualizem o endereço IP de uma sessão ou sessões como o gateway o vê. A atualização adiciona conveniência adicional para desenvolvedores que desejam usar essas informações.

Em relação ao gráfico de energia, foi adicionado a capacidade de redimensionar os painéis Tag Browser, Pen Table e Settings Menu no componente. Tudo que você precisa fazer é clicar no limite de um painel e arrastá-lo até o tamanho desejado.

Redundância OPC UA

O OPC UA está de volta, ganhando outra atualização no Ignition 8.1.10. O servidor OPC UA da Ignition agora suporta redundância OPC UA para clientes OPC UA de terceiros. O Modulo OPC UA do Ignition atua como o servidor OPC UA e a instalação da plataforma do Ignition se conecta ao servidor OPC UA como um cliente OPC UA. Além disso, você pode conectar aplicativos OPC UA de terceiros que permitem a conexão com outros servidores OPC UA e navegar em seus conteúdos.

Antes da atualização, no caso de falha do servidor ou conexão interrompida, quando o gateway principal fica offline, o gateway de backup assume o controle. O servidor OPC UA do gateway de backup tem conteúdo e nós semelhantes aos do servidor OPC UA mestre e pode se reconectar, mas os clientes OPC UA de terceiros não sabiam onde se reconectar. Com esta atualização, os clientes OPC UA de terceiros agora têm a funcionalidade de reconexão.

Nas configurações do servidor OPC UA, adicionamos duas propriedades: URI do aplicativo mestre e URI do aplicativo de backup. Quando ocorre uma falha, os clientes OPC UA de terceiros pegam os URIs e sabem onde se conectar quando o Master fica offline.

Outras atualizações incluídas …

É importante mencionar algumas adições notáveis ​​encontradas no Ignition 8.1.10. O componente Equipment Scheduler para o Módulo Vision obtém um novo método de componente, getDateAt (). O novo método de componente permite que um usuário pesquise uma data com base em onde o cursor do mouse é clicado. Portanto, quando um usuário clica em uma parte do agendador, uma data é retornada, que pode ser usada no script para iniciar outra lógica.

Outras atualizações incluem:

  • As conexões de banco de dados SQLite agora suportam caminhos relativos com $ {data} e $ {local}.
  • Docker Image tem novas variáveis ​​de ambiente e suporte para argumentos de gateway.
  • Novo Use Cabeçalhos Encaminhados de Proxy, permitindo que o gateway aceite cabeçalhos corrigidos.
  • Várias novas funções de expressão que podem ser usadas para interagir com valores qualificados (isBad, isUncertain, qualityOf, etc.)

O trem de lançamento está avançando, trazendo mais atualizações e melhorias no Ignition 8.1.11, em breve para uma estação perto de você!

5 razões que mostram o porquê de o Ignition ser o futuro da indústria de alimentos e bebidas

No mundo de hoje, a automação é uma necessidade para todos os fabricantes. Os fabricantes de alimentos e bebidas, em particular, enfrentam muitos desafios que tornam o investimento em automação e controle de supervisão essencial para se manter competitivo. O mercado muda abrupta e frequentemente: as receitas precisam ser reformuladas para acomodar as tendências, a demanda constante por embalagens inovadoras para atrair novos clientes e a variação sazonal dos requisitos de produção são fatores que devem ser considerados.

Além da regulamentação, os fabricantes também devem levar em consideração a classificação e a segregação de alérgenos durante a formulação e a limpeza do equipamento, um processo que reflete os requisitos da indústria farmacêutica. “A maneira como temos feito as coisas há muito tempo é baseada em nossa experiência farmacêutica e em ver como alimentos e produtos farmacêuticos estão cada vez mais próximos. Em termos de solução de automação, será a mesma para nós. Não importa se é comida ou remédio ”, disse John Parraga, da ECS Solutions. Simplificando, a interoperabilidade insuficiente pode colocar em risco a saúde pública e os resultados financeiros de uma organização.

Com o aumento das restrições de segurança e a necessidade de distanciamento social devido ao COVID-19, a automação se tornou essencial para manter os níveis de produção e, ao mesmo tempo, manter a segurança dos funcionários. Mas mesmo sem a pandemia, a automação é claramente o futuro da indústria de alimentos e bebidas. Como disse um gerente de uma fábrica de processamento de carne à ProFood World, “Em 20 anos, nossa fábrica será 100% automatizada e a IIoT implantada e ativa”. Com o software certo, pode ser muito mais rápido do que isso.

Muitos dos fabricantes de alimentos e bebidas de maior sucesso estão utilizando o Ignition by Inductive Automation para auxiliar na transformação digital e implementação da tecnologia Industry 4.0. Com o design modular do Ignition e inúmeras aplicações – SCADA, HMI, IIoT, MQTT, historiador, MES – é fácil, nas palavras de Parraga, “Identificar os problemas, apresentar uma solução, justificá-la e entregá-la.”

1. Dados e visibilidade

A aquisição de dados e a visibilidade do chão de fábrica são inestimáveis ​​para os fabricantes. Humanos armados com quadros brancos e planilhas do Excel nunca irão igualar um computador na coleta de dados, muito menos para processos que requerem milhares de tags. O Ignition acumula quantidades sem precedentes de dados, que podem ser armazenados e facilmente compartilhados. “Temos os meios para capturar as informações, temos os meios para exibi-las, temos os meios para analisá-las. E o Ignition nos permite fazer isso mais facilmente do que outras plataformas ”, disse Parraga.

A Ignition forneceu à Chobani, dona da maior fábrica de produção de iogurte do mundo, acesso a mais dados do que nunca para executivos e técnicos. Com uma visão minuto a minuto dos números da produção em tempo real, a Chobani agora tem uma visualização completa do chão de fábrica que pode ser acessada instantaneamente de qualquer parte da rede.

É um benefício que os cervejeiros artesanais da MadTree Brewing Company também apreciam. Usando o Ignition, MadTree pode monitorar todas as operações de qualquer local por meio de uma única interface unificada. Trent Leslie, gerente de qualidade da MadTree, disse: “Ser capaz de combinar o back-end do banco de dados relacional com o script Python e ter a interface para que outras pessoas realmente vejam essas informações – não apenas eu – foi incrível”.

Para algumas empresas, a análise em tempo real sempre foi um sonho. A SugarCreek, que administra a maior operação de cozimento em sous vide dos EUA, lutava anteriormente com a aquisição de dados, muitas vezes tomando decisões com base em informações do dia anterior. “Agora, com o Ignition, os dados estão imediatamente disponíveis e altamente acionáveis. É um mundo de diferença ”, disse Ed Rodden, CIO da SugarCreek.

2. Eficiência

Não é a quantidade de dados que importa, é o que pode ser feito com eles. Ao aproveitar o Ignition, as empresas podem analisar melhor seus processos, aumentando a eficiência e agilizando as operações. “Olhe para todo o seu processo, seu ecossistema, veja como vão as informações de seu sistema ERP corporativo, seus pedidos, vendo como você armazena materiais, veja até que ponto a montante podemos rastrear atividades e controlar coisas desde o momento em que o caminhão entra em seu portão até o produto sai da fábrica ”, disse Parraga. “Em vez da eficiência geral do equipamento, é mais eficiente no processo.”

Com o Ignition, os fabricantes podem ajustar as operações, descobrir processos de alto pagamento e melhorá-los. “Se você pudesse fazer melhor essa coisa cara, economizaria muito dinheiro”, disse Tim Matheny, da ECS Solutions. A SugarCreek, por exemplo, usou o Ignition para calcular os pesos ideais para seus produtos, aumentando assim o lucro e diminuindo o desperdício.

A AriZona Beverages – que inaugurou sua nova fábrica em novembro de 2019, com capacidade para produzir aproximadamente 60 milhões de caixas de bebidas por ano – usou o Ignition para implementar uma solução de lote customizada como parte de seu sistema SCADA, em vez de operar os dois em paralelo. Essa síntese deu à AriZona a capacidade de empregar lotes just-in-time, suavizando processos e ajudando a manter o famoso preço de 99 centavos de suas latas de 23 onças.

A integração do banco de dados do Ignition elimina a distribuição manual de informações, economizando tempo e melhorando a comunicação em toda a planta. Frequentemente, as empresas perdem muito tempo enviando dados às pessoas certas por meio de documentação escrita, e-mails ou telefonemas. Ao centralizar o armazenamento de dados, ninguém precisa esperar sua vez, eles simplesmente têm as informações de que precisam na ponta dos dedos.

Falando nisso, o Ignition Perspective Module é a primeira solução SCADA verdadeiramente móvel, executando o Ignition de forma nativa em tablets e telefones celulares. AriZona e Chobani elogiaram o Perspective como uma forma de rastrear todos os dados de OEE, tempo de inatividade e KPI. Essa funcionalidade móvel cria um ambiente dinâmico onde gerentes e técnicos podem utilizar fluxos de trabalho mais eficazes.

3.  Flexibilidade, Licenciamento ilimitado e Personalização

Os fabricantes de alimentos e bebidas precisam ser flexíveis para atender (e se antecipar) à demanda flutuante, o que significa a capacidade de ajustar receitas e processos a qualquer momento. Fazer modificações no Ignition é rápido e fácil. Craig Langhals, gerente de melhoria contínua da SugarCreek, disse: “Geralmente, leva cerca de 10 segundos para fazer as alterações que eu solicito.”

A flexibilidade do Ignition também se estende à personalização HMI. Além de simplesmente escolher tipos de dados e gráficos, o Ignition permite a criação de interfaces IHM exclusivas, mesmo para áreas especializadas de uma instalação que requerem visualizações não padronizadas. “O Ignition torna realmente econômico fazer um cenário único como esse”, disse Trevor Bell, engenheiro de automação da Chobani.

Um dos recursos que definem o Ignition é seu modelo de licenciamento ilimitado. O conceito é tão simples quanto parece: uma licença permite clientes, dispositivos, telas, tags e muito mais ilimitados. MadTree, por exemplo, alavancou este modelo de licenciamento para expandir continuamente, o que tem sido vital para o rápido crescimento da empresa. Além disso, a Chobani usou o licenciamento ilimitado da Ignition para ficar à frente da crescente demanda, dando a liberdade de adicionar quantos clientes em quantos locais forem necessários.

Parte do que torna o Ignition flexível é que ele roda em linguagens de programação de código aberto e em conjunto com software proprietário. “Os protocolos de código aberto são o único tipo disponível que é viável em 99% das aplicações”, disse Allen Tubbs, gerente de produto da Bosch Rexroth neste artigo de processamento de alimentos.

Em essência, o Ignition pode atuar como uma ponte entre uma variedade de bancos de dados e máquinas. Orva, um produtor italiano de pão e outros produtos de panificação, construiu e adquiriu uma frota diversificada de ferragens especializadas ao longo dos anos, cada uma com suas próprias especificações. O Ignition permitiu que a Orva executasse todo o seu sistema de rede heterogênea em uma única plataforma, incluindo oito linhas de produção em duas instalações separadas.

4. Facilidade de uso e treinamento

De acordo com pesquisas recentes de fabricantes de alimentos e bebidas, o principal motivo para não automatizar é a percepção da falta de mão de obra bem treinada. O Ignition supera esse problema não apenas sendo fácil de aprender, mas também incluindo avaliações gratuitas, treinamento e ferramentas para ajudar os usuários a começar a construir e operar em minutos. “Com o Ignition, acesse a Internet e baixe todos os treinamentos que desejar, gratuitamente. Baixe o produto, instale-o gratuitamente, execute-o se quiser, gratuitamente. Isso faz uma grande diferença em termos da capacidade das pessoas de aprender um sistema ”, disse Parraga.

O SugarCreek foi originalmente apresentado ao Ignition quando seu diretor de tecnologia de operações, Dan Stauft, ficou curioso sobre a plataforma e baixou uma versão de teste gratuita. Stauft foi capaz de construir um modelo e apresentar os recursos do sistema para a equipe de gestão antes de fazer qualquer compra (tudo “sem ler o manual”, como ele mesmo admitiu). Desde então, o SugarCreek como um todo achou o Ignition intuitivo e fácil de usar.

Na verdade, existem várias maneiras de se familiarizar com o Ignition. Além da versão de teste, há também a Inductive University, uma plataforma de aprendizagem digital com centenas de vídeos de treinamento gratuitos. “O Ignition é muito fácil de implementar, é fácil de programar e é intuitivo”, disse Kyle Lehman, engenheiro de controles da ThermalTech Engineering. “E a Inductive Automation oferece um excelente treinamento online gratuito para qualquer pessoa que queira aprender como usá-lo.”

Além disso, com o lançamento do Ignition 8.1, a nova função Quick Start vem embutida, fornecendo tutoriais simples e configurações automáticas para ajudar os novos usuários a entender e visualizar melhor as possibilidades da plataforma. “Com o Ignition, é tão fácil apenas dizer:‘ Me dê um dia e eu mostrarei a você ’”, disse Matheny.

Assim que os usuários estiverem confortáveis ​​com o Ignition, ainda haverá muitas ferramentas para tornar a criação de projetos mais fácil. Recursos como o sistema de gerenciamento de modelo robusto economizam tempo no desenvolvimento e implementação, eliminando o processo tedioso de reconstruir ativos. “O fato de poder usar um modelo e aplicá-lo a muitos projetos diferentes economiza muito tempo para mim, para meus clientes e para o MadTree”, disse Lehman. “Os recursos de gerenciamento de modelos no Ignition nos permitem aplicar modelos entre trabalhos, entre projetos e até mesmo entre diferentes áreas de uma instalação. Eles nos permitem ser repetíveis e previsíveis. ”

5. A empresa

Ampliando o escopo do chão de fábrica, o Ignition oferece benefícios potenciais para toda a organização. A Chobani implementou o Ignition em todas as três instalações, conectando toda a empresa, desde o chão de fábrica até o nível executivo, o que foi inestimável durante a pandemia. “Quando eu entro em nosso sistema ignition, posso ver Nova York, Twin Falls [Idaho] e Austrália a qualquer momento”, disse Hugh Roddy, vice-presidente de engenharia global e gerenciamento de projetos da Chobani, à ProFood World. “Depois de incorporar o Ignition como uma de nossas plataformas corporativas, tudo melhorou exponencialmente do ponto de vista operacional”.

O Ignition também não exige uma revisão completa do piso de produção. Devido ao seu design adaptável, o Ignition pode operar uma planta inteira ou apenas um único processo. A SugarCreek começou a usar o Ignition há meia década e tem expandido continuamente o papel da plataforma nas operações de suas seis fábricas de alimentos. O Ignition também permitiu que a SugarCreek compartilhasse dados operacionais abrangentes com os clientes, algo que ninguém mais no setor de carnes é capaz de fazer.

Um dos grandes impulsos na fabricação e aquisição de dados é a convergência de tecnologias operacionais e de informação. O Ignition não apenas conecta OT à TI, mas integra negócios e produção, unificando a empresa como um todo. “Não se trata tanto de digitalização ou dispositivos IIoT”, disse Roddy. “O componente transformacional é um projeto organizacional que capacita o usuário de tecnologia. Conectar fábricas significa permitir que as pessoas vejam o que está acontecendo. ”

Comece a usar o Ignition

Vale a pena repetir: a automação é o futuro da indústria de alimentos e bebidas, e não há plataforma que possa se igualar à capacidade do Ignition de transformar digitalmente uma organização. Todd Pugh, diretor de TI da SugarCreek, colocou de forma simples: “Não encontramos nada que o Ignition não consiga lidar no chão de fábrica”.

Quer saber como o Ignition pode beneficiar sua empresa? Entre em contato!

6 maneiras rápidas de otimizar alarmes SCADA

À medida que o mundo da automação continua a abraçar a tecnologia da Indústria 4.0 e a manufatura inteligente, os sistemas SCADA estão se tornando cada vez mais complexos. Com o acréscimo de complexidade, surge mais potencial para que os processos ou máquinas fiquem fora das especificações. Por causa disso, os sistemas modernos requerem monitoramento constante durante a operação, razão pela qual ter um sistema de alarme é tão essencial.

Uma configuração de alarme adequada não apenas garante que o sistema esteja funcionando de maneira eficiente, mas também pode evitar problemas que podem causar tempo de inatividade ou pior. Embora seja verdade que cada instalação é diferente, coletamos algumas práticas recomendadas simples para ajudar a otimizar qualquer sistema de alarme SCADA.

1. Defina corretamente seus alarmes

Todo sistema de alarme começa com uma pergunta básica: O que é um alarme? O único recurso de definição de um alarme é que ele sempre deve significar um evento ou condição anormal, nunca simplesmente confirmar se os processos estão funcionando normalmente. Pense desta forma: alarmes não devem ser ignorados. Se você não precisa se preocupar com isso, não é um alarme.

2. Priorizar alarmes

Nem todos os alarmes são iguais! Alguns podem alertar sobre um problema que pode prejudicar uma instalação inteira e precisa ser resolvido imediatamente, enquanto outros são menos urgentes. Recomendamos separar os alarmes em 5 níveis de prioridade: 0-Diagnóstico, 1-Baixo, 2-Médio, 3-Alto e 4-Crítico. Ao categorizar os alarmes, os operadores podem diagnosticar rapidamente a gravidade de cada incidente e agir de acordo.

3. Alarmes de prateleira

Arquivar é o meio termo entre reconhecer ou descartar um alarme e deixá-lo ativo. Pense nisso como apertar o botão de soneca. Os operadores ainda podem visualizar alarmes arquivados conforme necessário, mas eles ficam temporariamente ocultos da visualização principal para que os operadores possam se concentrar em coisas mais pertinentes.

4. Rosters de plantão

Enviar notificações para operadores que não estão em turno nunca é a melhor maneira de resolver um problema. A sincronização das notificações de alarme com as programações dos operadores garante uma resposta mais rápida e alivia a confusão à medida que novos operadores assumem o controle.

5. Pipelines de alarme

Os pipelines de alarme fornecem uma maneira de configurar a lógica de notificação. Dependendo de como você configura seu pipeline, você pode determinar quem recebe uma notificação e quando, em vez de enviar um alarme para todos. Aqui está um exemplo: Um alarme dispara e notifica apenas os operadores no turno 3 vezes, com um atraso de 30 segundos entre cada notificação. Se ninguém reconhecer o alarme, o pipeline avança para notificar os administradores (como um grupo ou indivíduos específicos). Assim que o alarme é confirmado, o pipeline para. Essencialmente, os pipelines criam uma maneira personalizada de aumentar a eficácia da resposta a alarmes.

6. Fique conectado

Existem várias maneiras de enviar notificações de alarme. O e-mail bidirecional é uma forma conveniente e discreta de receber e confirmar alarmes. No entanto, em uma situação mais urgente, a mensagem de voz pode ser a opção mais adequada. Para operadoras que usam dispositivos móveis, sua preferência pode ser SMS (também conhecido como mensagem de texto), uma vez que é imediato e pode ser facilmente reconhecido durante o trabalho em um chão de fábrica barulhento.

Dê o próximo passo no gerenciamento de alarmes!

Embora as dicas listadas acima sejam úteis, ter um software SCADA robusto para gerenciar seus alarmes é a chave para operar com eficácia uma instalação automatizada. Profissionais da indústria em todo o mundo estão aproveitando o Ignition by Inductive Automation para suas necessidades de gerenciamento de alarmes. O design intuitivo e a fácil instalação do Ignition o tornam perfeito para o desenvolvimento de um sistema de alarme em qualquer instalação.

Vision X Perspective

É importante ter em mente, que o módulo Perspective não veio para substituir o Vision, na verdade, eles se complementam e podem ser usados em conjunto. O Módulo Vision é uma boa opção para quem pretende construir aplicações industriais tradicionais, já o Perspective deve ser levado em consideração para aplicações mobile.  

Como os módulos Vision e Perspective se complementam? 

Para entender o porquê dos dois módulos andarem lado a lado, vamos ver como o módulo Perspective se encaixa na plataforma do Ignition.

Na topologia de uma instalação típica do Ignition, há o Ignition Gateway, o Ignition Designer e os clientes Vision. Na base do Gateway está o sistema operacional, que pode ser Windows, Mac ou Linux. Acima do sistema operacional está a camada de tempo de execução / VM Java, na qual o Ignition é executado. Acima da camada de tempo de execução / VM está a plataforma Ignition, que fornece muitos recursos e serviços como tags, projetos, conexões de banco de dados, a rede de gateway e assim por diante. No topo da pilha estão os módulos, que permitem que você faça uma série de coisas úteis, como conectar-se a dispositivos, usar bancos de dados de forma eficaz, enviar notificações de alarme, gerar relatórios e, no caso do Módulo Vision, criar aplicativos que rodam como clientes Vision.

Os clientes Vision e o Ignition Designer são semelhantes. Eles também são executados usando Java em cima do sistema operacional, além de o cliente Vision ser multiplataforma, podendo assim, ser executado em Windows, Mac e Linux.

O que chamamos de “cliente” no Vision é chamado de “sessão” no Perspective, e os dois realmente são muito semelhantes. Na parte inferior está o sistema operacional. Além de oferecer suporte a Windows, macOS e Linux, o Perspective também oferece suporte a Android e IOS. A próxima parte, é o navegador da web, que é muito semelhante à camada de tempo de execução / VM nas outras pilhas porque fornece um ambiente para executar código, gerar interfaces de usuário e se comunicar de volta com o Gateway. Além disso, executa o próprio aplicativo de sessão Perspective e, em seguida, os módulos podem aumentar os recursos do Perspective.

Como você pode ver, o Perspective é apenas mais um módulo. Ele é instalado no Gateway e fornece uma experiência de design no Designer, assim como fazem outros módulos do Ignition. Vision também é apenas um módulo; e não o próprio Ignition. Assim, o Vision e o Ignition Perspective podem ser executados lado a lado no mesmo servidor.

Conheça o Ignition!

Welcome - Ignition User Manual 8.1 - Ignition Documentation

A plataforma ilimitada para SCADA e muito mais

O Ignition é ilimitado, portanto, com o baixo custo de uma licença de servidor, você pode conectar perfeitamente todos os seus dados, projetar qualquer tipo de aplicação industrial com facilidade e implantar instantaneamente na web clientes industriais e móveis ilimitados para qualquer pessoa, em qualquer lugar – tudo a partir de uma plataforma universal para automação industrial.

IA Distributor in Switzerland | Inductive Automation

Ele vem com tudo que você precisa para criar qualquer tipo de aplicação industrial para desktops, monitores industriais e telas móveis. O Ignition Designer combina uma rica biblioteca de componentes, fácil vinculação de dados, bem como ferramentas poderosas para desenho e script, em um ambiente de desenvolvimento totalmente integrado.

Responsive Design Tips - Ignition User Manual 8.1 - Ignition Documentation

O Ignition é um software de servidor que atua como um hub para tudo em sua planta e para integração total do sistema. Não importa a marca, modelo ou plataforma, ele se comunica com o seu equipamento de planta com a mesma naturalidade com que se comunica com os bancos de dados SQL, preenchendo perfeitamente a lacuna entre a produção e a TI.

Com o modelo de implantação da Web centrado no servidor do Ignition, você pode iniciar instantaneamente um número ilimitado de clientes da Web a partir de um servidor local ou em uma nuvem. O Ignition fornece seus dados vitais em tempo real para qualquer pessoa, em qualquer lugar, e em qualquer tamanho de tela.

Ignition Community Conference 2021



Abrangendo uma infinidade de setores e experiências, a comunidade Ignition é um coletivo criativo e colaborativo de indivíduos ligados por sua paixão em construir melhores projetos, empresas e um melhor setor como um todo. A cada ano, profissionais de água / esgoto, óleo e gás, manufatura, processamento de alimentos, automotivo e quase todos os outros setores importantes participam da ICC para aprender, compartilhar ideias e se inspirar.

Na edição de 2021, a ICC reúne o grupo mais inovador de profissionais industriais do mundo de um jeito novo e empolgante. É uma conferência completamente virtual na qual podemos compartilhar ideias, experiências e tecnologias relacionadas à automação industrial para que sejamos mais inteligentes, rápidos e fortes que nunca!

Evolução é o resultado das adversidades superadas, e todos nós mudamos após o ano passado. É necessário que, mesmo lidando com as dificuldades do momento, estejamos nos preparando para os desafios do futuro. Durante a  ICC 2021, almejamos prover o conhecimentos e conexões que nos ajudam a fortalecer nossa comunidade ao se deparar com os mesmos.

Mais inteligente, mais rápido, mais forte. Esse ano, o tema escolhido foi Envolve.



FG Automação Industrial na ICC 2021

Na edição de 2021 a FG Automação Industrial marca presença representando o Brasil, tendo como pauta a preparação do Software Ignition contra ataques.

Você pode conferir a programação completa aqui.

Nos vemos nos dias 21 e 22 de setembro!

Manufacturing Execution System – MES

Manufacturing Execution Systems (MES), é o termo utilizado para nomear um conjunto de sistemas que auxiliam na gestão das operações de produção, conectando o planejamento e a gestão diretamente ao dia a dia da manufatura.

O sistema MES vem para suprir a falta de integração entre sistemas de controle usados nas linha industriais e sistemas ERP. Como existe uma abrangência enorme de soluções nesta “lacuna”, surgiu em 1992 a MESA, uma associação formada por integradores e desenvolvedores com o intuito de desenvolver no mercado a cultura e o conhecimento necessário para a aplicação destes sistemas.

Em 1992 a MESA, junto a sua fundação, apresentou ao mundo um conceito de 11 funcionalidades que deveriam ser propostas por um sistema MES. Este conceito ficou conhecido pelo modelo MESA.

O Modelo MESA

Ao longo do tempo, com a maturidade dos sistemas este modelo passou por modificações chegando na sua terceira versão (a mais atual) em 2006. Neste modelo a MESA divide as características ideais para uma implementação MES em quatro hierarquias:

  • Nível de Produção (Manufacturing), representando toda a parte de chão de fábrica, incluindo a automação.
  • Nível de Operação de Manufatura (Manufacturing Operations), neste nível estão as características raíz de um MES, que já eram citadas nas primeiras revisões da MESA.
  • Nível de Business Operations, onde se foca nos sistemas de administração dos negócios – estamos falando por exemplo de Supply Chain, ERP, CRM.
  • Nível de Iniciativas Estratégicas, ou seja, estratégia de negócios.

​A ideia central dessa hierarquia é deixar claro que sistemas MES bem implementado deverá impactar todo o dia-a-dia do negócio em múltiplas áreas e as expectativas devem estar alinhadas entre todos os stakeholders e com a estratégia da empresa.

MOM (Manufacturing Operations Management)

O nível de Operações da Manufatura ,atualmente, contempla funcionalidades que “extrapolam” o que softwares categorizados como MES atendem pelo mercado. Uma grande parte dos recursos citados nesta camada serão atendidos por outros tipo de softwares, por exemplo:

Warehouse Management System – WMS, para gestão de armazéns.

Laboratory Information Management Systems – LIMS, para gestão de laboratórios e dados de qualidade.

Enterprise Asset Management – EAM, para gestão de ativos.

​Desta forma a camada 2 no modelo MESA passou a receber um nome mais abrangente “Gestão das Operações de Manufatura”, em inglês: Manufacturing Operations Management (MOM).

Funcionalidades de um MOM

As funcionalidades “core” citadas pela MESA seriam:

  • Rastreabilidade e Genealogia da Produção: Rastrear todo o histórico de um produto: pessoas, materiais e condições envolvidos para aquela determinada manufatura. Geralmente é entregue por módulos de Rastreabilidade nos próprios softwares MES.
  • Alocação e Estado dos Recursos Gerenciamento dos recursos e suas condições para a produção. Os recursos devem estar prontos, em condições de uso no local e momento certo. Considerando os equipamentos necessários para produção temos: softwares para gestão de ativos (EAMs) e de manutenção (CMMS). Já focando nas matérias primas necessárias para a produção: softwares para gestão de materiais e armazéns.
  • Análise de Desempenho Métricas atuais e históricas para a apreciação do desempenho da manufatura, a métrica mais conhecida com certeza é o OEE (Overall Equipment Effectiveness – clique aqui para saber mais) e existe sempre um módulo de MES exclusivo para o cálculo dela.
  • Gerenciamento do Processo Acompanhamento do processo em tempo real para assessorar a operação em correções necessárias. Com certeza um dos maiores valores agregados de uma sistema MES são esses recursos, que na maioria dos casos, requerem customização por parte do Integrador.
  • Aquisição de Dados Coleta de dados relacionais (digitalização) e temporais (usando um PIMS) da produção.
  • Gerenciamento de Qualidade Garantir a qualidade da produção em tempo real e até mesmo intervir no processo produtivo para garanti-la.
  • Gerenciamento da Mão de Obra Informações sobre os colaboradores e para os colaboradores afim de otimizar e aprimorar a mão de obra.
  • Distribuição de Unidades de Produção Controla o fluxo de trabalho em tempo real das diversas unidades de produção (Lote, OP, tarefa, batelada, corrida). Garantindo uma produção síncrona e eficiente.
  • Foco em Logística Controle do Armazém, distribuição de matérias-primas (infeed) assertivas e pontuais. Minimização do estoque, e controle do uso de materiais.
  • Controle PLCs, DCS e IoTs para transformação digital da planta, tomadas de decisões mais rápidas e precisas.